sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Vem Comigo Poetar




Poeta, vem comigo poetar
Pelas margens dos teus ou do meu rio.
Se nos teus há calor no meu há frio
Mas mantenho a lareira a crepitar.

Eu até já idealizei um bom plano:
Pões nos rios os versos que escreveres
Eu faço exactamente o que fizeres
E encontramo-nos, os dois, no oceano.

E só as gaivotas, em voos rasados,
Verão nossos poemas abraçados
Vogando, bem felizes, sobre as águas.

Permite até que eles troquem um beijo
Enquanto aproveitamos este ensejo
Para afogar, ali, as nossas mágoas.

(Cândido)


Nenhum comentário:

Postar um comentário